Entrevista

Rogério Samora: "Se deixasse a representação não ia ser feliz"

Rogério Samora: "Se deixasse a representação não ia ser feliz"

Há um ano, Rogério Samora surpreendeu o mundo da representação com a notícia do abandono das novelas. Agora, assume que foi uma frase "que disse sem pensar" e vai ser o pai da protagonista (Carolina Loureiro) na nova trama da SIC, "Nazaré", que estreia esta segunda-feira.

Foi em março de 2018, no programa da TVI "Queridas manhãs" que anunciou a Júlia Pinheiro e a João Paulo Rodrigues a saída do mundo do espetáculo. "Vou deixar de ser ator. Temos de ter a noção de que chega um momento em que se apercebemos que há algo que não te faz completamente feliz. Esta é uma profissão muito desgastante", disse, acrescentando que queria terminar a carreira "com uma peça ao lado da Alexandra Lencastre".

A declaração surgiu na mesma altura em comprou um imóvel no Porto, reconvertida numa "guesthouse". Tudo indicava que iria apostar na carreira de empresário e mudar de vida. Mas não. Rogério Samora não só teve, em junho, uma participação especial no primeiro episódio de "Golpe de Sorte", como agora entra na nova novela. "Foi uma coisa que disse sem pensar. Fui um pateta e como tenho o coração ao pé da boca... atirei o barro à parede. Parece que tomei uns prozac de manhã", brinca o ator, para, a seguir, falar mais a sério. "Foi uma fase, do que sentimos mas não devemos verbalizar. Depois pensei nas saudades e as pessoas pediram-me para não deixar de ser ator".

Negócio no Douro corre bem

A continuidade na ficção está, portanto, garantida. "Faço esta novela e o que mais houver: Estou aqui para a SIC. Se deixasse a representação não ia ser feliz".

Com a "guesthouse" aberta junto ao Douro, o artista sublinha que o projeto vai de "vento em popa": "Felizmente está a correr melhor do que pensava para um projeto novo".

Samora faz, de seguida, elogios rasgados à protagonista de "Nazaré". "Este projeto tem muito a energia e boa disposição da Carolina. Ela contagiou o elenco com a forma que tem de viver".