O Jogo ao Vivo

Televisão

José Eduardo Moniz: "A Cristina tem feito um bom trabalho. Venho para somar"

José Eduardo Moniz: "A Cristina tem feito um bom trabalho. Venho para somar"

Novo diretor-geral da TVI pretende "rejuvenescer" a estação e garante querer ficar "mais 50 anos". Quanto à diretora: "Aqui não há quintas".

José Eduardo Moniz, 70 anos, está de volta à TVI como diretor-geral - foi consultor nos últimos anos -, depois de, há 20 anos, ter assumido a estação e ultrapassado a SIC e a RTP1 nas audiências. O jornalista tem ideias claras para o quarto canal e, entre elas, estão o "rejuvenescimento" da TVI e que a estação seja "pioneira" em conteúdos e não uma mera "retransmissora".

"Voltar a casa é simpático porque conheço a TVI, gosto das pessoas e de trabalhar para aqueles que nos veem. Há muito trabalho pela frente, muita inovação para trazer e isso é um desafio interessante para qualquer pessoa, seja em que idade for", refere ao JN, à margem da gala do 29.º aniversário da estação.

PUB

"A TVI não precisa de ser salva por mim, quanto muito rejuvenescida. Não é ação de uma pessoa só, esta é a televisão de todos, sobretudo dos telespectadores. Temos combates e desafios de criatividade interessantes", acrescenta Moniz, que se diz ansioso para acabar com o que classifica de "status quo" que se vive no panorama audiovisual. "É preciso desinquietar os espíritos. O modelo de programação que existe no nosso país foi moldado pela TVI em 2000 e as outras televisões copiaram-no, e o modelo precisa de ser rejuvenescido. Em 20 anos muita coisa aconteceu no Mundo, Portugal não é o umbigo do planeta, os nossos auditórios têm de ser mais amplos. Streaming? Vamos até onde a nossa ousadia nos levar."

Nas últimas semanas especulou-se que Cristina Ferreira poderia perder poder enquanto diretora de Ficção e Entretenimento com a chegada do novo diretor-geral, mas José Eduardo Moniz é claro. "A Cristina tem feito um bom trabalho com as ideias que tem. Vim para a TVI para somar, para trabalhar com toda a gente e não para me sobrepor a ninguém. Isto não são quintas. Comigo ninguém perde nem ganha poder."

"Tenho ideias, mas elas vão ser primeiro discutidas dentro da TVI. Vou apostar em quem for bom, seja uma pessoa nova ou não. Muita gente achava que eu já estava gasto e devia estar na reforma e aqui estou com ar de quem tem menos 30 anos e com energia de quem tem vontade de continuar aqui mais 50". Moniz diz-se disponível "para contribuir para que a televisão em Portugal possa ser pioneira em muitas coisas. Não temos de ser só transmissores de produtos que outros façam. Temos de ser criadores e não ter medo de ser audazes", remata o novo diretor-geral da TVI.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG