Televisão

Maria João Bastos  volta à ficção nacional com os malandros de Mário Zambujal

Maria João Bastos  volta à ficção nacional com os malandros de Mário Zambujal

Atriz falou com o JN sobre a série que está a gravar para a RTP inspirada no romance "Crónica dos bons malandros". E confessou que usou o período de confinamento para trabalhar em projetos pessoais, estudar, ler e ver filmes.

Maria João Bastos está de volta à ficção nacional, para participar na "Crónica dos bons malandros", inspirada no romance homónimo que Mário Zambujal, um dos maiores escritores e jornalistas portugueses, escreveu em 1980. Ao seu lado estarão atores como José Raposo, Rui Unas, Marco Delgado, Manuel Marques ou Adriano Carvalho.

O JN falou com a atriz na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, onde gravou as mais recentes cenas da série da RTP cuja realização é assinada por Jorge Paixão da Costa.

"É uma característica do livro e da série: todas as personagens estão construídas com várias dimensões, o que faz com que sejam muito ricas, com as características muito bem definidas", afirmou a atriz, que completou 45 anos em junho.

Zambujal, "o génio"

Maria João vai ser Marlene. "Ela ajuda Renato (Marco Delgado), que é o líder do grupo de assaltantes. É um grande apoio na vida dele. Estão juntos desde crianças, fugiram ambos do circo. Começaram unidos nesta vida de malandragem. Ela tem uma influência enorme sobre ele, na estratégia do assalto, e sobre todo o grupo. Ela é que mantém o foco, porque os malandros dispersam-se muito", descreve, bem-humorada, admitindo que receou ver o filme de Fernando Lopes sobre o mesmo livro.

"Cheguei a ver já depois de ter preparado a minha personagem. Não quis que me influenciasse. Depois percebi que era uma linguagem diferente daquilo que estamos a fazer, que é uma série de oito episódios com as personagens muito mais desenvolvidas", explica.

Segue-se o elogio ao realizador Jorge Paixão da Costa: "Temos um génio a escrever, o Mário Zambujal, e o comandante do barco, o Jorge, que nos desafia constantemente para que nos superemos, e que está sempre a surpreender-nos com a sua direção e realização".

"Força e garra"

Antes de aceitar este desafio, e depois de gravar "Na corda bamba", a atriz cumpriu, tal como o resto do país, o período de confinamento. "Vivi com muita tranquilidade. Sou extremamente otimista e acredito que vamos superar isto". De resto, Maria João Bastos agradece voltar ao trabalho. "Sou muito agradecida por poder mergulhar neste trabalho que foi adiado, mas que aconteceu. Admiro muito a produtora Ukbar por levar este projeto avante. Nenhum de nós desistiu de o fazer. Estamos aqui com muita força e garra".

Quanto ao mais, a atriz aproveitou para estar em casa. "Fiz muita coisa e ainda precisava de mais um tempinho", diz. "Trabalhei em projetos meus, estudei, li e vi imensos filmes. Tentei que o confinamento me trouxesse alguma coisa positiva", remata a atriz..

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG