Julgamentos

Médico de Michael Jackson começa a ser julgado em Los Angeles

Médico de Michael Jackson começa a ser julgado em Los Angeles

Decorridos dois anos da morte de Michael Jackson, o julgamento do médico Conrad Murray, acusado de homicídio involuntário, começa, esta terça-feira, em Los Angeles, nos EUA. As audiências serão totalmente filmadas e transmitidas na televisão e na Internet.

O último médico de Michael Jackson vai a tribunal esta terça-feira, na Califórnia, sob o olhar atento dos fãs do 'rei da pop'. O processo começou há mais de dois anos, após a onda de choque provocada pela morte repentina de Jackson causada por uma overdose de medicamentos.

O principal factor deste caso será determinar quem deu a dose fatal do medicamento para dormir que o cantor usava.

O julgamento, a ser realizado no Tribunal Superior de Los Angeles, deve durar cerca de cinco semanas e será totalmente filmado e transmitido na televisão e Internet. Após o julgamento, 12 jurados darão o veredicto final ao médico Conrad Murray.

Conrad Murray encontra-se em liberdade sob fiança desde que foi indiciado em Fevereiro de 2010. Em caso de condenação, o médico, de 58 anos, pode cumprir até quatro anos de prisão.

Apesar de ter revelado que o cantor abusou de muitos medicamentos, incluindo o Propofol, um anestésico muito forte, que usava como soporífero, o médico declara-se, incansavelmente, inocente desde a morte de Michael Jackson, a 25 de Junho de 2009.

Durante as audiências preliminares, várias testemunhas caracterizaram o médico de Michael Jackson como um profissional negligente e incompetente. O juiz Michael Pastor- que presidirá aos debates- decidiu passar Conrad Murray a julgamento.

O médico admitiu que sempre administrou Propofol à 'estrela pop' a pedido do próprio. Contudo, refutou as acusações da Promotoria de que tivesse abandonado o paciente nos seu últimos momentos e de que não teria prestado os cuidados exigidos.

A defesa prepara-se para argumentar que o próprio Michael Jackson, possuído por impulsos suicidas, terá administrado a ele próprio uma dose suplementar de Propofol na ausência do médico.

Nos últimos meses, os advogados de defesa têm repetidamente tentado convencer o juiz a autorizar a apresentação de documentos que provam que o cantor americano estava em péssimas condições físicas e psicológicas, vários meses antes de morrer.

O juiz rejeitou a maioria dos pedidos, incluindo a chamada à barra do tribunal de todos os médicos da 'estrela', para provar a dependência das drogas. O juiz apenas quer focar o que aconteceu a 25 de Junho de 2009 e nas semanas anteriores.

O site TMZ, que foi o primeiro a anunciar a morte de Michael Jackson, vai transmitir todos as audiências, juntamente com o site do canal de notícias CNN:

Os doze membros do júri não serão filmados, fotografados ou gravados.