Televisão

Nuno Santos: "Queremos afirmar um jornalismo pelo lado das factos"

Nuno Santos: "Queremos afirmar um jornalismo pelo lado das factos"

Adeus TVI 24. Olá CNN Portugal. Nuno Santos, diretor do canal, garante que nova aposta se estreia para ser "independente" e para portugueses. Responsável explica em que é que este projeto difere do que já fez.

Judite Sousa será o rosto da CNN Portugal, que arranca esta segunda-feira às 21 horas, sucedendo à TVI 24. Um regresso da pivô e jornalista à antena de Queluz de Baixo, dois anos após ter saído. Para Nuno Santos, o diretor da nova emissora, é a aposta na criação de um canal informativo que, como marca, "começa do zero".

Mas afinal, em que é que a CNN Portugal difere do que o próprio já fez há 20 anos com a SIC Notícias, ou há dois com o desportivo 11 ou, como diz, "em projetos similares" quando trabalhou em África? "Pela primeira vez, está a ser lançado um projeto de televisão e digital em paralelo feito por portugueses, em português, a trabalhar com uma marca global", justifica o responsável. "Em segundo, a CNN soma, não subtrai. Passamos a ter acesso a um acervo de vídeo feito em diferentes geografias e trabalhamos com equipas da CNN das mais variadas áreas. Trata-se de um movimento global e com impacto não só no canal como no âmbito da Media Capital e da TVI. Em terceiro lugar, o jornalismo que se pratica na televisão em Portugal está muito mimetizado. Queremos afirmar um jornalismo pelo lado dos factos e pelo lado da análise e menos pelo lado do comentário."

O investimento nesta operação não é revelado, mas a chegada da marca americana inclui cerca de 50 novos profissionais para a estação de Queluz de Baixo, 20 comentadores residentes (até ao momento), reforço tecnológico e ampliação dos estúdios de informação. Uma ampliação para trazer para a antena "mais factos, mais confronto de ideias do que opinião solta e sem contraditório" e que é para "Portugal, por portugueses, focado nos temas portugueses", garante.

Linha avançada

A par de correspondentes internacionais e de colaborações com geografias próximas a Portugal, o diretor da CNN Portugal fala em investimento dentro de fronteiras. "Temos um conjunto de delegações pelo país, mas reforçámos essa oferta com o que temos chamado de linha avançada de equipas regionais e locais. Uma estrutura bastante ligada a web TVs e à imprensa local, que permite alargar a rede informativa no território."

Sobre a matriz da CNN na versão portuguesa, Nuno Santos vinca: "Em termos editoriais, somos nós que definimos um padrão. Os responsáveis pelo canal somos nós, o que vamos fazer em Portugal é um canal pautado pela independência".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG