Austrália

Teorias da conspiração sobre a covid-19 tramam o chef vedeta Pete Evans

Teorias da conspiração sobre a covid-19 tramam o chef vedeta Pete Evans

O Facebook removeu a página do conhecido chefe de cozinha australiano Pete Evans por constante desinformação relativamente ao novo coronavírus.

Com cerca de 1,5 milhões de seguidores, o chefe, que se celebrizou como jurado do programa australiano "My Kitchen Rules" por 10 temporadas, é acusado de usar a sua página do Facebook para espalhar teorias da conspiração relativas à covid-19 e a vacinas, refutadas por especialistas da Saúde.

"Não permitimos a ninguém divulgar informações falsas sobre a covid-19 que possam levar a danos físicos iminentes ou sobre as vacinas contra a covid-19, desmascaradas por especialistas em saúde pública", justifica o Facebook.

Não é a primeira vez que a rede social remove conteúdos publicados pelo chefe Pete Evans por desinformação, mas desta vez eliminou toda a sua página por "repetidas violações" da sua política. Evans tinha partilhado uma série de teorias falsas sobre a gravidade do vírus, o uso de máscaras, as vacinas e sobre as redes 5G.

A sua página no Instagram, rede social detida pelo Facebook, permanece ativa. O chefe aproveitou esta ferramenta, na qual conta com 279 mil seguidores, para acusar esta quinta-feira o Facebook de censura e para troçar com a situação, pedindo ironicamente desculpa à companhia por violar as suas políticas. Muitos fãs mostraram-se descontentes com a decisão da empresa.

Mas o comportamento de Evans nas redes sociais há muito que é contestado e os seus críticos já tinham pedido ao Facebook que bloqueasse o acesso a esta plataforma por divulgar informações falsas. Ainda assim, o seu número de seguidores aumentou durante este ano e muitos foram o que citaram os seus vídeos como inspiração para participarem em manifestações anti-confinamento no país.

Em abril, a sua empresa foi multada pelos reguladores australianos por vender uma máquina de luz, por cerca de 9300 euros, que anunciava poder curar o "coronavírus de Wuhan".

PUB

Já antes da pandemia, o chefe conhecido por "Paleo Pete" tinha sido criticado por vários órgãos de saúde australianos por promover pseudo-ciência sobre dietas e curas para o cancro. Em 2017, a Associação Médica Australiana acusou mesmo Evans de colocar vidas em risco com as suas falsas teses sobre os benefícios de certos minerais e de toxinas nos protetores solares.

Em novembro passado, perdeu uma série de patrocinadores por partilhar um meme nas redes sociais com um símbolo nazi, assim como o contrato com a sua editora Pan Macmillan, apesar do aumento da procura dos seus livros de receitas pelos grandes retalhistas.

Foi ainda afastado da próxima temporada do programa televisivo australiano "I'm A Celebrity ... Get Me Out Of Here".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG