Política

BE quer participação judicial contra Machete

BE quer participação judicial contra Machete

O Bloco de Esquerda entrega, esta terça-feira. à presidente da Assembleia da República um requerimento a pedir que o Parlamento faça uma participação à Procuradoria-Geral da República contra o ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, confirmou o partido à Lusa.

O 'site' do semanário "Expresso" avançou, na segunda-feira à noite, que em causa "está o facto de Machete ter, em 2008, enviado uma carta aos deputados na qual garantia que nunca teve ações da Sociedade Lusa de Negócios", conforme o jornal revelou na edição em papel de sábado.

Fonte oficial do BE confirmou à Lusa que o coordenador do BE, João Semedo, será recebido às 12 horas desta terça-feira pela presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, a quem vai pedir que o Parlamento desencadeie os procedimentos legais contra o ministro dos Negócios Estrangeiros.

No sábado, João Semedo já tinha pedido a demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros, por este ter alegadamente mentido ao parlamento em 2008.

Em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa, o coordenador do BE apresentou uma carta de 2008 do agora ministro em que este revelava que nunca tinha sido acionista da SLN, ex-dona do BPN, o que, disse o bloquista, se sabe hoje que "é uma redonda mentira".

Nesse dia, João Semedo afirmou que a "prova documental e irrefutável" apresentada naquele dia deveria resultar em consequências do foro político e a que o parlamento não poderia ficar indiferente.

"A Procuradoria-Geral da República (PGR) é quem lida com estes casos. O Parlamento deve apresentar queixa à PGR e se o Parlamento não o fizer, nós não deixaremos que o Parlamento deixe de o fazer", declarou.

PUB

Rui Machete admitiu que cometeu uma "incorreção factual" ao escrever, na carta de 2008, nunca ter tido ações da Sociedade Lusa de Negócios, mas disse não haver qualquer intenção de o ocultar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG