Política

Candidato a líder do PS diz que moção de censura "peca por tardia"

Candidato a líder do PS diz que moção de censura "peca por tardia"

O candidato a secretário-geral do PS Aires Pedro afirmou, esta sexta-feira, que a moção de censura ao Governo decidida na noite de quinta-feira só peca por partida e surge porque o atual líder socialista, António José Seguro, foi pressionado.

"Da reunião da comissão política nacional do PS, convocada com caráter de urgência, resulta pois que António José Seguro apresentou uma proposta de moção de censura ao desgoverno de Pedro Passos Coelho, a qual só peca por ser tardia", diz o candidato socialista madeirense num documento enviado à agência Lusa com o título "António José Seguro obrigado a ter pressa?! Coincidências".

Aires Pedro declara que "subscreve na íntegra" esta moção, sublinhando que " mais vale tarde que nunca, mesmo que, para tal, António José Seguro tenha sido pressionado por destacados socialistas", mencionando as recentes opiniões de André Figueiredo, Mário Soares e Manuel Alegre.

"Com tal pressão, ganha Portugal e ganham os portugueses!", declara, considerando que "infelizmente" esta decisão do secretário-geral do PS não surgiu "por iniciativa própria".

"Tal decisão resultou pois, das várias pressões que em tal sentido lhe foram feitas. Pelo que embora esteja totalmente de acordo com a imediata apresentação da desejável e inadiável moção de censura, uma vez mais confirma-se que o António José Seguro de uma dita "oposição responsável e construtiva, passou a subscrever uma mera oposição reativa", argumenta Aires Pedro.

O candidato realça que "António José Seguro ainda bem recentemente afastava qualquer hipótese de apresentar uma moção de censura ao Governo de Pedro Passos Coelho, refugiando-se na sua já recorrente 'estratégia' de oposição responsável e construtiva'", declarando ainda não ser "uma pessoa pressionável".

Aires Pedro recorda que no início de março havia desafiado publicamente António José Seguro a tomar esta mesma atitude.

"Do secretário-geral e ora novamente candidato a tal cargo exige-se uma estratégia de ação e não uma 'estratégia' de reação", escreve o candidato madeirense, lamentando que "só agora e à custa de muita pressão, António José Seguro tenha tomado finalmente a decisão politicamente acertada".

Aires Pedro é o único adversário de António José Seguro na corrida à liderança nacional do PS.

Aires Pedro é um militante do PS madeirense, com o número 33.664 pela secção de Ponta do Sol (zona oeste da ilha Madeira), tem 40 anos, tendo apresentado 222 proponentes e a moção "Refundar o PS pelo futuro de Portugal".

A Comissão Nacional do PS aprovou a marcação das eleições diretas para o cargo de secretário-geral para 13 de abril e a realização do XIX Congresso Nacional está marcado para os dias 26 a 28 do mesmo mês.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG