Política

Catroga defende que Cavaco devia ter aberto o acordo a todos os partidos

Catroga defende que Cavaco devia ter aberto o acordo a todos os partidos

Eduardo Catroga é claro na avaliação que faz à crise política nacional: Passos Coelho não soube gerir o parceiro de coligação, Paulo Portas "devia ser amarrado" e Cavaco Silva poderia ter aberto o compromisso "de salvação nacional" a todos os partidos.

Foi em entrevista à Antena 1, que Eduardo Catroga, antigo ministro das Finanças, responsabilizou o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho pela crise política, considerando que não soube gerir o seu partido, o PS e o parceiro de coligação, o CDS-PP.

"O Partido Socialista cada vez mais demagógico, a radicalizar posições à medida que se mostram favoráveis as sondagens e ignorando as suas responsabilidades. O CDS-PP cada vez mais com um pé dentro e um pé fora a dar tiros no próprio barco de salvação nacional", lembrou.

"Mais o facto de o primeiro-ministro não ter sabido gerir adequadamente o seu parceiro de coligação", sublinhou Eduardo Catroga.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, "devia ser amarrado, por ter tendência de volatilidade", considerou.

Ainda em declarações à Antena 1, Eduardo Catroga entende que Cavaco Silva deveria ter alargado a todos os partidos o compromisso de salvação nacional, proposto ao PSD, PS e CDS-PP.

"Tem lógica que o apelo do senhor Presidente da República seja dirigido na prática aos três partidos que subscreveram o acordo inicial. Mas penso que deveria ter dito sem prejuízo dos outros partidos que agora também queiram aderir", disse.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG