O Jogo ao Vivo

PS

Cavaco Silva é o novo porta-voz de um Governo de iniciativa presidencial

Cavaco Silva é o novo porta-voz de um Governo de iniciativa presidencial

O ex-ministro Pedro Silva Pereira disse, sábado à noite, que o Presidente da República, depois do discurso do 25 de Abril onde tomou "partido em favor do seu partido", é o "novo porta-voz" do Governo, que diz ser de "iniciativa presidencial".

"O país descobriu que já não tem Presidente da República e que o Governo passou a ter dois ministros da Presidência porque quem mora agora no Palácio de Belém é o novo porta-voz do Governo. Esta é uma remodelação permanente de um Governo que tem um novo porta-voz", criticou na sua intervenção no XIX Congresso Nacional do PS.

Na opinião do ex-ministro de José Sócrates, "este é um Governo de iniciativa presidencial", sendo assim "desde o início" porque "antes de ser, já o era".

"Foi esse Presidente da República que agora aceitou passar um certificado de confiança política neste Governo de direita. Aquilo que fez foi tomar partido em favor do seu partido", criticou.

Na opinião de Pedro Silva Pereira, com o discurso do 25 de Abril, Cavaco Silva "assim se desqualificou como o Presidente de todos os portugueses cujo dever seria o de promover os consensos, o diálogo político e social".

"Esta semana, nas comemorações do 25 de Abril, rompendo uma tradição de muitos anos, os palácios estiveram fechados ao povo e não há imagem mais poderosa e mais reveladora de uma democracia doente", enfatizou, referindo-se ao facto de nem São Bento nem Belém terem estado abertos ao público, como já aconteceu em anos anteriores.

Pedro Silva Pereira criticou que o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o Presidente da República, Cavaco Silva, se tenham "escondido atrás dos muros dos seus palácios, de portas trancadas para não deixarem o povo entrar no dia da Liberdade".

"Foi este Presidente da República que, há dois anos atrás, ignorou as circunstâncias da crise internacional, manipulou, explorou politicamente os sacrifícios dos portugueses e instigou uma crise política para derrubar o Governo do PS", recordou.

Silva Pereira sublinhou ainda que Cavaco Silva se "demitiu das suas responsabilidades" e no momento decisivo, "em que uma crise política arrastava o país para um pedido de ajuda externa, optou por cruzar os braços e favorecer a sua família política".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG