adoção

Coadoção por casais gay é uma vantagem para as crianças

Coadoção por casais gay é uma vantagem para as crianças

O Instituto de Apoio à Criança considerou, esta sexta-feira, que a aprovação da lei que permite a coadoção por casais homossexuais é uma vantagem para as crianças e uma proteção para as relações afetivas relevantes.

O Parlamento aprovou, esta sexta-feira, na generalidade, um projeto de lei do PS para que seja possível a coadoção, por homossexuais, de filhos adotivos ou biológicos, da pessoa com quem estão casados ou com quem vivem em união de facto, mas chumbou a adoção por casais do mesmo sexo.

"Esta alteração veio permitir proteger as crianças que estabeleceram uma vinculação privilegiada com o cônjuge do mesmo sexo de seu pai ou de sua mãe, biológico/a ou adotivo/a, alargando afinal o âmbito da adoção em situações muito concretas", refere um comunicado do IAC.

O IAC adianta que desde há muito tempo defende a coadoção por casais do mesmo sexo, recordando que em 2008 elaborou um documento, no qual reconheciam que esse direito "facilitaria a densificação do conceito de "superior interesse da criança, que deve sempre ser prosseguido, em todas as decisões que lhe digam respeito".

Para o Instituto de Apoio à Criança, a lei agora aprovada "veio solucionar e dar resposta a casos de crianças que, por terem apenas uma menção relativa à sua paternidade ou maternidade ficaram, desta forma, com a sua situação jurídica mais segura e protegida".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG