O Jogo ao Vivo

Política

Cultura sai à rua contra a austeridade

Cultura sai à rua contra a austeridade

Artistas portugueses saem este sábado à rua, em Lisboa e em mais de duas dezenas de localidades no país, para protestar contra as medidas de austeridade, mas o dia ficará ainda marcado por outras manifestações e concentrações.

A manifestação cultural que se associa ao apelo "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!" concentrará mais de 30 bandas e artistas, que atuarão a partir das 17 horas num palco junto à Praça de Espanha, em Lisboa, na qual estarão ainda atores, realizadores, produtores e promotores.

A esta manifestação em Lisboa, que contará, por exemplo, com Dead Combo, Camané, Diabo na Cruz, Deolinda, Vitorino e Coro Acordai, associam-se outras em mais de 20 cidades, como Porto, Coimbra, Faro, Braga, Santarém, Évora e Caldas da Rainha.

À manifestação cultural deste sábdo vai juntar-se o movimento internacional Global Noise, com recursos a tachos e panelas.

Está igualmente prevista, segundo o Facebook, a manifestação "contra as políticas de austeridade - devolvam-nos a dignidade", em 24 cidades portuguesas. Em Lisboa, os manifestantes vão marchar pela avenida da Liberdade até ao Marquês de Pombal, juntando-se depois ao protesto da Praça de Espanha.

A marcha da CGTP contra o desemprego, que tem estado a percorrer o país, também termina este sábado em Lisboa, com um desfile entre a Praça da Figueira e a Assembleia da República.

Além dos protestos de sábado, estão previstas ações no domingo e na segunda-feira.

PUB

Para domingo, véspera da apresentação do Orçamento do Estado para 2013, estão marcadas duas vigílias junto ao parlamento.

Uma delas é convocada no Facebook pelo movimento "Ocupar Lisboa", para um almoço em São Bento. A outra é marcada pelos indignados de Lisboa e tem início às zero horas de domingo, prolongando-se até às 18 horas de segunda-feira.

Nesta segunda-feira, realiza-se a concentração "Cerco a São Bento! Este não é o nosso orçamento", marcada para as 18 horas, organizada pelo Movimento Sem Emprego e Plataforma 15 de Outubro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG