Durão Barroso

Durão Barroso diz que riscos negativos da zona euro "são sobretudo políticos"

Durão Barroso diz que riscos negativos da zona euro "são sobretudo políticos"

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, afirmou, esta terça-feira, em Bruxelas, que "os riscos negativos" que existem na zona euro são "sobretudo políticos", sublinhando que "a pressão política torna as reformas mais desafiantes".

"Acredito que o desafio agora é sobretudo político. Estamos preparados para manter o 'momentum' da reforma? A falta de reformas estruturais e a instabilidade política põem em risco o que já se conseguiu fazer e o que ainda está para fazer", disse Durão Barroso, no Fórum Económico de Bruxelas 2014.

Durão Barroso deixou mesmo um aviso: "os riscos negativos são sobretudo políticos" e "a pressão política torna as reformas mais desafiantes".

O presidente da Comissão Europeia, que fez o discurso de abertura do Fórum, referiu-se ao desemprego, considerando que "é ainda muito elevado e, em alguns países, está em níveis inaceitavelmente altos".

Durão Barroso deixou também uma palavra sobre a decisão do Banco Central Europeu (BCE) da semana passada, de cortar novamente as taxas de juro, considerando que foi dado "um contributo muito poderoso para o crescimento".

Na semana passada, o BCE cortou a taxa de juro diretora para o novo mínimo histórico de 0,15%, numa decisão já antecipada pelos mercados, e colocou em valor negativo a taxa de depósitos.

O Conselho de Governadores decidiu voltar a cortar em 10 pontos base a principal taxa de refinanciamento da zona euro, que estava desde novembro do ano passado nos 0,25%, e colocou em valores negativos (-0,10%) a taxa de depósitos, que estava em zero, para penalizar os bancos que depositam dinheiro na instituição, numa medida inédita com o objetivo de impulsionar o crédito.

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, está também presente no Fórum, que decorre em Bruxelas, e integra o painel que vai discutir as lições da crise e a resposta a dar.