Política

Governo focalizado em cumprir mandato com "nervos de aço"

Governo focalizado em cumprir mandato com "nervos de aço"

O ministro da Defesa garantiu, esta segunda-feira, em Bruxelas, que "o Governo está focalizado em cumprir o seu mandato", admitindo ser necessário ter "nervos de aço" para nunca perder o sentido do interesse nacional.

José Pedro Aguiar-Branco, que falava à margem de uma reunião de ministros da Defesa da União Europeia com os chefes de diplomacia dos 27, em Bruxelas, ao ser questionado sobre o cenário de eleições antecipadas equacionado por diversos analistas políticos, disse que o Governo quer cumprir o seu mandato, considerando que em causa está "uma exigência nacional".

"Não cederemos um milímetro no que tem a ver com o interesse nacional. É preciso ter nervos de aço para nunca perder o sentido do interesse nacional. É com essa preocupação que trabalhamos, o resto será sempre objeto das análises políticas que se fazem num quadro democrático", afirmou.

Por outro lado, instado a comentar o "alívio" da sobretaxa de IRS de 4 para 3,5%, decidida pelo Governo, Aguiar-Branco apontou que "o Governo sempre referiu que a margem era estreita" e que "estaria aberto" a alterações, "desde que essa situação não tivesse influência significativa na capacidade de realizar o objetivo do défice", e é nesse curta margem de manobra "que o parlamento atuou e que o Governo irá analisar em concreto as questões que se colocam na especialidade".

Relativamente ao facto de a alteração ter pouco impacto junto dos contribuintes, o ministro sublinhou que "este orçamento (2013) é um orçamento muito exigente" e, na sua preparação, o Governo "teve o cuidado máximo de ser o menos penalizante possível", mas lembrou a "situação extraordinária" resultante do acórdão do Tribunal Constitucional, que obrigou a "ter que fazer o combate ao défice também pelo lado da receita".

A concluir, realçou que "tudo aquilo que puder ser feito para minimizar" os efeitos das medidas orçamentais "é bom, mas sem por em causa o objetivo de cumprir o défice para 2013".

Outros Artigos Recomendados