SNS

Álvaro Beleza acusa maioria de "aproveitamento miserável"

Álvaro Beleza acusa maioria de "aproveitamento miserável"

O secretário nacional do PS Álvaro Beleza disse, esta segunda-feira, ter expressado "opiniões pessoais", que não vinculam o partido, ao defender a extinção da ADSE, acusando a maioria e Miguel Relvas de fazerem um "aproveitamento miserável" deste assunto.

"O Jornal de Notícias publicou hoje uma entrevista que concedi àquele jornal no dia 15 de dezembro. Nessa entrevista expressei opiniões pessoais que só a mim vinculam. Algumas dessas opiniões são coincidentes com as posições oficiais do PS e outras não", afirmou Álvaro Beleza, uma mensagem colocada na sua página do Facebook.

Na entrevista, o membro do Secretariado Nacional do PS e coordenador deste partido para a área da saúde disse que um Governo socialista acabará com a ADSE, alegando que é um sistema injusto, o que foi negado pelo líder parlamentar socialista, Carlos Zorrinho.

No Facebook, Álvaro Beleza disse que respeita e sempre respeitou a posição do PS sobre a ADSE: "O PS tem, como sempre teve, uma única posição e muito clara sobre a ADSE. Essa posição não impede nenhum debate, nem limita nenhuma opinião".

"O PS é um partido livre e aberto, é nesse quadro que centenas de cidadãos têm debatido o futuro da saúde em Portugal e também a necessidade de reformulação da ADSE. Eu tenho muita honra em coordenar esse debate de ideias e de propostas", sublinhou o socialista.

Álvaro Beleza deixa ainda críticas ao "aproveitamento miserável que o ministro Relvas, o PSD e o CDS estão a fazer" do assunto. "Relvas, o PSD e o CDS sabem muito bem qual é a posição do PS. A atitude do ministro Relvas mostra a sua dimensão de estadista", afirmou.

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, considerou "positiva" a proposta de extinção da ADSE, desafiando o PS a clarificar a sua posição e o que pretende fazer com os 400 mil beneficiários do subsistema de saúde.

Já o secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Leal da Costa, afirmou a este propósito que o PS "tem maior dificuldade em coordenar as suas mensagens" do que o Governo.

O PSD também reagiu às declarações do PS sobre a ADSE, com o deputado Couto dos Santos a considerar que a postura dos socialistas é "um pouco caricata" e "mostra claramente que [o partido] não está preparado para governar".

Por outro lado, o deputado do CDS-PP Adolfo Mesquita Nunes defendeu que a proposta de extinção da ADSE era "útil", considerado que o facto de ter sido "retirada" pelo PS mostra que os socialistas não sabem o que querem e estão contra qualquer corte.