Política

Assis nega ter sugerido carro de baixo custo

Assis nega ter sugerido carro de baixo custo

O deputado socialista Francisco Assis negou ter sugerido que o líder da bancada socialista passe a andar num carro de baixo preço e considerou que são "ridículas" as explicações sobre a aquisição de carros.

Francisco Assis falava à agência Lusa sobre o teor da sua intervenção na reunião da bancada do PS, cuja versão transmitida para a comunicação social considerou "deturpada" no ponto referente ao contrato de aluguer celebrado pelo Grupo Parlamentar do PS para a aquisição de quatro viaturas.

"São ridículas as explicações se este ou aquele carro é ou não um pouco mais barato, se tem ou não uma cilindrada mais baixa. Quando se tomam decisões, assumem-se depois as decisões", disse Francisco Assis.

No final da reunião da bancada do PS, Carlos Zorrinho foi confrontado com a notícia do Jornal de Notícias de que o Grupo Parlamentar do PS terá comprado quatro carros por 210 mil euros.

O líder da bancada socialista negou então que o Grupo Parlamentar do PS tenha comprado algum carro.

"O Grupo Parlamentar do PS tinha quatro viaturas em sistema de "renting', cujos contratos terminaram e foi necessário encontrar uma outra forma para voltar a ter quatro carros. Fizemos um aluguer de longa duração, que custa 3700 euros por mês", disse.

Carlos Zorrinho referiu depois que os quatro carros agora alugados têm menor cilindrada do que os anteriores e que os novos contratos permitem ao Grupo Parlamentar do PS "poupar cem mil euros por ano em relação à solução anterior".

Confrontado com o custo de 210 mil euros resultante da operação financeira feita pelo Grupo Parlamentar do PS, o líder da bancada socialista insistiu que o custo mensal "é de 3700 euros por mês para um Grupo Parlamentar que tem um presidente, 12 vice-presidentes e 74 deputados".

Interrogado sobre a possibilidade de o Grupo Parlamentar do PSD ter menos carros, apesar de ter mais deputados do que o PS, Carlos Zorrinho deu a seguinte resposta: "Estou a explicar aquilo que o PS decidiu".

"Sobre isso é o que tenho a dizer", respondeu.

Conteúdo Patrocinado