China

China considera Portugal "um importante parceiro"

China considera Portugal "um importante parceiro"

A China considera Portugal "um país amigo" e "um importante parceiro", disse, esta quinta-feira, o porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Qin Gang.

Questionado pela agência Lusa, em Pequim, sobre o 15.º aniversário da transferência de poderes em Macau e o estado atual das relações luso-chinesas, Qin Gang caracterizou também Portugal como "um bom amigo da China no seio da União Europeia".

"China e Portugal lidaram corretamente com o regresso de Macau (à administração chinesa), através de consultas e negociações em pé de igualdade. É um marco memorável na História das relações entre a China e Portugal", realçou o porta-voz do MNE chinês.

Macau ("Ao Men", em chinês) foi integrado na República Popular da China no dia 20 de dezembro de 1999, com o estatuto de Região Administrativa Especial e segundo a mesma fórmula adotada em Hong Kong, "um país, dois sistemas".

"O regresso sem sobressaltos de Macau à China e a harmonia e prosperidade de que tem gozado deve-se ao facto de a China e Portugal terem mantido boa cooperação", disse Qin Gang.

"E o sucesso de Macau também contribuiu para o bom desenvolvimento das relações entre a China e Portugal", acrescentou.

A China tornou-se nos últimos três anos um dos maiores investidores em Portugal, comprando importantes participações em grandes empresas dos setores da energia, seguros, saúde e banca.

"China e Portugal mantêm enorme cooperação no domínio do investimento e noutras áreas. Portugal tem uma atitude amigável face à China e é um importante parceiro", assinalou o porta-voz chinês.

Qin Gang evocou a "assistência e apoio" da China a Portugal durante a crise da dívida soberana na Europa, há quatro anos, mas não precisou o montante dos títulos do tesouro adquirido por instituições chinesas.

"Ambos os países encontraram novas áreas para a cooperação e no futuro continuarão a aprofundar essa cooperação", afirmou.

Segunda economia mundial, logo a seguir aos Estados Unidos da América, a China tem também as maiores reservas em divisas do planeta, estimadas em cerca de 3.88 biliões de dólares (3,15 biliões de euros).

Há menos de duas semanas, a empresa financeira Haitong, sediada em Xangai, chegou a acordo com o Novo Banco para comprar o BESI (Banco Espírito Santo Investimento) por 379 milhões de euros.

Trata-se do quarto grande investimento chinês em Portugal, depois de a China Three Gorges ter pago 2.700 milhões de euros por 21,35% do capital da EDP, em 2012.

Os outros três investimentos, que no conjunto somaram mais de 1.800 milhões de euros, foram feitos pela State Grid (REN), também na área da energia, e pela Fosun (Fidelidade), nos setores dos seguros e da saúde.