Comissão Europeia

Durão Barroso confirma saída da Comissão Europeia em outubro

Durão Barroso confirma saída da Comissão Europeia em outubro

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, afastou, esta sexta-feira, em definitivo a possibilidade de um terceiro mandato à frente do executivo comunitário, confirmando assim que abandona o cargo em outubro próximo, no final do segundo mandato.

"Não. Está fora de questão", disse Durão Barroso, à chegada ao congresso do Partido Popular Europeu (PPE), em Dublin, quando questionado pelos jornalistas portugueses sobre a disponibilidade para cumprir um terceiro mandato à frente da Comissão Europeia.

Questionado sobre se já pensou sobre o seu futuro após terminar o segundo mandato como presidente do executivo comunitário, o português respondeu: "Ainda não, agora estou concentrado até outubro, depois logo se verá. Portugal é o meu país, mas neste momento não tenho planos, não tenho quaisquer planos".

"Sofri com o que se passava no nosso país"

Durão Barroso afirmou depois estar de consciência tranquila em relação ao seu desempenho em Bruxelas e no apoio a Portugal durante a crise financeira.

"Devo dizer que os momentos que mais sofri não foram tanto com a crise do euro, mas com o que se passava no nosso país, e agora aqui na Irlanda têm reconhecido o que fiz pela Irlanda, na Grécia também acabaram de me distinguir com outra condecoração, se os outros países reconhecem que fiz por eles o máximo que podia fazer, será que não o faria pelo meu próprio país?", interrogou.

"Fiz tudo o que podia por Portugal, nesse aspeto tenho a consciência absolutamente tranquila", acrescentou.

O ex-primeiro-ministro português referiu ainda que "se não fosse um português à frente da Comissão Europeia a orientação [para Portugal] teria sido muito mais no sentido do rigor, sem a dimensão social, sem a dimensão do equilíbrio entre a consolidação e o apoio ao crescimento".

Recorde à frente da Comissão, a par de Jacques Delors

Durão Barroso passará a ser, a par do francês Jacques Delors, o político que mais tempo ocupou o cargo.

O antigo primeiro-ministro português foi eleito para a liderança do executivo comunitário em 2004 e reconduzido para um segundo mandato em 2009, deixando o cargo no final de outubro próximo, após 10 anos de exercício, um recorde de longevidade que passa a partilhar com Delors, que foi presidente da Comissão entre 1985 e 1995.

Durão Barroso é o 11.º presidente da Comissão, e o primeiro português a desempenhar as funções.

O presidente da Comissão Europeia participa, esta sexta-feira, em Dublin, no congresso do PPE que vai eleger o candidato desta família política de centro-direita a presidente da Comissão Europeia, e que deverá ser o luxemburguês Jean-Claude Juncker.