Política

Escolha do candidato a Gaia nas mãos de Passos

Escolha do candidato a Gaia nas mãos de Passos

Luís Filipe Menezes remete para Passos Coelho e para os órgãos nacionais do PSD a escolha do candidato a Gaia, depois do nome por si proposto na reunião da Comissão Política Concelhia (José Guilherme Aguiar) não ter sido aprovado.

O autarca emitiu um comunicado, no qual dá conta das divisões internas e sugere ao presidente do partido a escolha de uma personalidade terceira, com "notoriedade e prestígio".

Aquilo que há bem pouco tempo parecia um processo pacífico arrisca-se a ser um "bico de obra". Tudo porque Marco António Costa preferiu continuar no Governo a ser candidato em Gaia. E Menezes não omite essa contrariedade no comunicado que ontem enviou aos militantes, referindo que a opção do secretário de Estado não se candidatar, "legítima e de acordo com a sua interpretação do interesse do projeto nacional, provocou um divisão imediata entre militantes e, principalmente, entre dirigentes locais, que redundou no aparecimento de dois militantes candidatos".

Esses candidatos são José Guilherme Aguiar - o preferido de Menezes e o que aparece à frente nas sondagens do partido - e Firmino Pereira, atual vice-presidente da Autarquia e o desejado pela Distrital e pelo próprio Marco António Costa.

Anteontem, Menezes, que preside à Concelhia, levou o seu candidato a votação, mas o resultado foi um empate. O também candidato à Câmara do Porto ainda usou o voto de qualidade para fazer passar Guilherme Aguiar, mas, já depois da reunião, voltou atrás na decisão e, apurou o JN, convocou, por SMS, novo encontro para ontem. Horas mais tarde, e pela mesma via, a reunião foi desmarcada com o argumento de que alguns militantes da Comissão Política estavam indisponíveis.

Seguiu-se o comunicado e a proposta para que a direção nacional avoque o processo e encontre a tal "personalidade terceira", tendo em linha de conta "o respeito pelo legado deixado pelo atual presidente da Câmara". Até porque, frisa Menezes, não se pode "alienar um projeto que tem a ver com a liderança da terceira maior cidade do país".

Confrontado com a decisão de Menezes, Guilherme Aguiar apenas disse aguardar "com serenidade o desenrolar do processo". Já Firmino Pereira entende que deve ser a "Distrital a avocar o processo, e não a Nacional, que é a última instância", defendendo que o seu nome vá a votos na Concelhia.

O líder distrital, Virgílio Macedo, não quis fazer comentários.