Política

Governante promete "acompanhar, de forma discreta e recatada", amiga de Mário Crespo

Governante promete "acompanhar, de forma discreta e recatada", amiga de Mário Crespo

O secretário de estado do Emprego, Octávio de Oliveira, disse, na SIC Notícias, que iria "acompanhar, de forma discreta e recatada", o caso de uma amiga do jornalista Mário Crespo que está desempregada.

Numa resposta ao JN, o gabinete de Imprensa do Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social (MSESS) referiu que o governante se mostrou apenas "preocupado com o eventual mau serviço público e não com um caso particular".

Na passada segunda-feira, durante uma entrevista na SIC Notícias a Mário Crespo, a propósito do relatório da Organização Internacional do Trabalho, Octávio de Oliveira foi confrontado pelo entrevistador com o caso de "uma amiga, economista, excelentemente qualificada", que, estando desempregada, recebeu do Instituto de Emprego e Formação Profissional propostas para fazer estágios em jardinagem ou cabeleireira.

"Terei todo o gosto em acompanhar, de forma discreta e recatada, essa situação. Só a posso classificar como um mau serviço público que me envergonha", respondeu o secretário de Estado. Mário Crespo ficou, então, de lhe enviar os elementos.

Contactado pelo JN, o gabinete de Imprensa do MSESS esclareceu que o secretário de Estado "não prometeu, nem mostrou interesse em acompanhar, de forma discreta e recatada", o caso de uma amiga desempregada do jornalista, "mas de obter as informações de natureza pessoal da utente em causa e do serviço para acompanhar o desempenho do que classificou, a ter acontecido nos exatos termos dos relatados, de um mau serviço público".

Sublinhando que Octávio de Oliveira "expressou discordância e desconforto com a descontextualização" das suas palavras, adianta que Mário Crespo não forneceu os elementos pessoais da pessoa em causa.

O gabinete de Imprensa refere, ainda, que qualquer caso relatado serve para a obtenção de um melhor serviço público.

Imobusiness