Política

Governo escolhe economista da confiança de Sócrates para liderar CCDRC

Governo escolhe economista da confiança de Sócrates para liderar CCDRC

A economista e professora da Universidade de Coimbra Ana Abrunhosa é a futura presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), sucedendo no cargo a Pedro Saraiva, soube o JN de fonte governamental.

A escolha dos ministros Poiares Maduro e Jorge Moreira da Silva, que deverá ser ratificada no próximo Conselho de Ministros, significa preterir dois outros candidatos indigitados pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP) - Norberto Pires e António Queirós - que alguns apontavam como nomes muito fortes para a liderança da CCDRC.

Fonte ligada ao processo explicou que o professor universitário Norberto Pires (ex-presidente da CCDRC, atual vereador do PSD na Câmara de Condeixa-a-Nova e ex-líder da sociedade Coimbra iParque), "embora pessoa muito competente e experiente, tem o 'defeito' de ser muito frontal/direto e tem pelo menos um ex-membro do Governo que nutre por si um ódio de estimação que o poderá ter prejudicado neste concurso". Já António Queirós viu goradas as suas hipóteses de suceder a Pedro Saraiva por ter sido gestor da insolvente sociedade Invesvita.

A opção da tutela acabou por recair em Ana Abrunhosa, que foi vice-presidente da CCDRC, nomeada pelo Governo de José Sócrates, entre 2008 e 2010, ano em que passou a vogal executiva do Mais Centro. "E foi justamente como gestora do QREN-Quadro de Referência Estratégica Nacional que a economista granjeou enormes apoios entre os autarcas da região com quem tem mantido uma relação de grande proximidade", disse, ao JN, fonte da Comissão de Coordenação, justificando esta alegada "proximidade com autarcas" como a "grande mais-valia" para a sua escolha.

Pedro Saraiva, que substituiu Norberto Pires na liderança da CCDRC, não se candidatou ao procedimento concursal por discordar da metodologia adotada para escolha do presidente da Comissão de Coordenação.