Política

Governo reitera que programa termina a 17 de maio

Governo reitera que programa termina a 17 de maio

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, reiterou esta segunda-feira que o programa de resgate de Portugal termina a 17 de maio, considerando que "a extensão técnica" até 30 de junho de deve ao calendário interno dos credores internacionais.

"Portugal terminará o programa no dia 17 de maio, porque é essa a data contratual assumida com o Fundo Monetário Internacional, com a Comissão Europeia e com o Banco Central Europeu", afirmou esta segunda-feira Paulo Portas na comissão parlamentar de acompanhamento das medidas do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), em que está a explicar a 11.ª avaliação.

De acordo com o governante, "a extensão técnica para se atingir o último desembolso" dada a Portugal "é igualzinha à que foi dada à Irlanda".

"E que eu saiba ninguém disse que o programa da Irlanda não tinha acabado em dezembro e também só receberam a última tranche em março", acrescentou o vice-primeiro-ministro.

No memorando de políticas económicas e financeiras, que acompanha o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a 11.ª avaliação regular, hoje conhecido, o Governo solicitou aos credores internacionais uma "extensão (do programa) por motivos técnicos até 30 de junho".

"Esta extensão é necessária para garantir tempo suficiente para avaliar o desempenho dos critérios de final de março e completar a revisão final", lê-se no memorando do Governo.

O programa de assistência da Irlanda foi prorrogado por dois meses, tendo sido o programa de Portugal prolongado por mais seis semanas, até 30 de junho.