Política

Manuel Alegre presente no Congresso contra "austeridade que não presta"

Manuel Alegre presente no Congresso contra "austeridade que não presta"

O histórico socialista Manuel Alegre disse, esta sexta-feira, ter feito questão de estar presente no Congresso das Alternativas para discutir "novas soluções para a democracia", contra "uma austeridade que não presta" e que as pessoas "não vão suportar".

"Eu venho aqui por consideração e amizade pelos organizadores e por muitas pessoas que aqui estão, que sempre estiveram comigo em momentos difíceis e outros combates", afirmou o ex-candidato presidencial aos jornalistas à entrada para a Aula Magna.

Questionado sobre a renegociação da dívida, um dos temas do Congresso, o socialista reconheceu que esse é "um ponto que porventura mais dúvida levanta a muita gente" e no PS, mas que "uma coisa é certa": "Esta política de austeridade leva à destruição do Estado social, dos direitos sociais, dos serviços públicos, empobrece o país, arruína a nossa economia, leva para a falência milhares de empresas, aumenta brutalmente o desemprego".

"A maioria das pessoas já começa a pôr em causa o sistema no seu conjunto e por isso é necessário encontrar soluções alternativas, esta política não presta, esta austeridade não presta, nem aqui, nem em Espanha, nem em Itália, nem em França", advogou.

Alegre deixou ainda o alerta de que "ou isto se resolve no quadro da democracia ou podemos ter grandes surpresas".

"Espero que os partidos políticos, o Presidente da República, todos, estejam muito atentos ao que se está a passar, há limites que foram ultrapassados e as pessoas não o vão suportar", acrescentou.

Já sobre as comemorações oficiais do 5 de outubro, Manuel Alegre disse desconhecer onde estão a decorrer e respondeu apenas que irá estar "num jantar com muita gente em Alenquer" (organizado pelo PS).

Questionado sobre o facto de a bandeira nacional ter sido hasteada ao contrário nas comemorações no Pátio da Galé, em Lisboa, Manuel Alegre manifestou surpresa e disse: "Foi hasteada de cabeça para baixo? eu por acaso já vi esse filme, mas é um sinal de alerta".