Política

Passos diz que país regressa aos mercados em 2013

Passos diz que país regressa aos mercados em 2013

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu que não pede mais tempo nem mais dinheiro à 'troika' em duas entrevistas à imprensa sueca, e que Portugal regressará aos mercados em setembro de 2013.

"Já dissemos que vamos voltar aos mercados de dívida em setembro de 2013 e é o que vai acontecer. Nessa altura, deixaremos de precisar de financiamento externo para a economia", disse o primeiro-ministro numa entrevista em Estocolmo ao jornal Dagens Nyheter.

Numa outra entrevista ao jornal sueco Dagens Industri, no âmbito de uma visita oficial à Suécia e à Finlândia, o líder do Executivo português insistiu que "Portugal não vai pedir nem mais dinheiro nem mais tempo", numa entrevista conduzida pouco depois de se saber do acordo entre Grécia e privados para o perdão de dívida.

Passos Coelho disse ainda que a recessão "é uma consequência natural" dos cortes e dos aumentos de impostos, antecipando que esta consolidação irá permitir um regresso ao crescimento da economia portuguesa "no próximo ano" e que não vê razões para não conseguir regressar ao mercado em setembro de 2013.

"O programa de assistência vai ser finalizado no próximo ano e é provável que em 2014 já se verifique um aumento sustentável da procura interna", adiantou ainda aos jornalistas suecos.

Nestas conversas, Passos Coelho terá ainda enumerado as várias medidas tomadas pelo Governo no âmbito do Programa de Assistência Economica e Financeira acordado com o Fundo Monetário Internacional, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu, e mostrou-se empenhado em distanciar a situação portuguesa da grega.