Política

PGR investiga jogo financeiro nos transportes

PGR investiga jogo financeiro nos transportes

A Procuradoria-Geral da República está a investigar o jogo financeiro dos "swaps" nas empresas públicas, que abriram um buraco de três mil milhões e fizeram cair dois secretários de Estado.

O Ministério das Finanças admite que as empresas estatais, em particular as do setor dos transportes, firmaram contratos "altamente especulativos" e não obrigatórios para a contratação de empréstimos. A sangria, causada pela queda acentuada da taxa de juro Euribor, somava 2,631 mil milhões de euros em novembro passado. Hoje totalizará cerca de três mil milhões.

O Governo explicou, esta segunda-feira, que já tomou medidas para apurar responsabilidades e que está há dois meses a negociar com a Banca para minorar os efeitos de mais uma cratera nas contas públicas. Por intermédio do IGCP - Agência de Gestão de Tesouraria e da Dívida Pública, tenta reparar "os prejuízos financeiros sofridos pelo Estado da forma mais rápida e certa possível". No final da semana, serão divulgados o resultado do processo negocial e o que está a ser feito para responsabilizar os culpados por este buraco.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa