Paulo Portas

Portas garante a Cavaco estabilidade governativa

Portas garante a Cavaco estabilidade governativa

"Há condições de estabilidade governativa". Foi esta a garantia dada por Paulo Portas a Cavaco Silva, esta terça-feira de manhã, numa audiência em Belém.

No final da audiência do CDS, cerca das 11.00 horas, o líder do partido e ainda ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros fez uma curta declaração aos jornalistas, a primeira desde que apresentou a demissão do Governo há uma semana.

Sem responder a perguntas, com o argumento do respeito pela avaliação que o presidente da República fará da situação política, Portas salientou que os dois partidos da coligação "empenharam-se num entendimento sólido e abrangente que contribua positivamente para o interesse nacional".

Esse "entendimento sólido e abrangente na Maioria" deverá permitir, segundo o líder centrista, "abrir um ciclo de governação que valorize a economia, as empresas, a criação de emprego e a concertação social".

A delegação do CDS, composta ainda pelos ministros Mota Soares e Assunção Cristas, pelo o vice-presidente e eurodeputado Nuno Melo e pelo líder parlamentar Nuno Magalhães, esteve reunida com o chefe do Estado ao longo de cerca de 45 minutos.

Seguiu-se a delegação do PS, chefiada por António José Seguro e que inclui ainda Alberto Martins, Francisco Assis, Maria de Belém e Carlos Zorrinho. Seguir-se-á a reunião com a direção do PSD, sem a presença de Pedro Passos Coelho

O presidente da República, que está a ouvir desde ontem os partidos políticos, na sequência da crise política aberta pela demissão de Paulo Portas, na terça-feira da semana passada, receberá ainda hoje as confederações patronais e amanhã de manhã as centrais sindicais. Só depois de concluídas todas as audiências, Cavaco deverá fazer uma declaração ao país.