Política

PS classifica de "equívocas" afirmações de Portas sobre Conde Rodrigues

PS classifica de "equívocas" afirmações de Portas sobre Conde Rodrigues

O grupo parlamentar do PS classificou, este domingo, de "equívocas" as declarações do líder do CDS/PP sobre a candidatura de Conde Rodrigues ao Tribunal Constitucional, recordando que aquela proposta de candidatura teve assinaturas de deputados do CDS-PP, PSD e PS.

"Perante as declarações equívocas de Paulo Portas sobre a candidatura de José Conde Rodrigues ao Tribunal Constitucional (TC), o líder parlamentar do PS falou com o líder parlamentar do CDS-PP, recordando que o curriculum vitae do candidato recebeu prévia luz verde da atual maioria e a proposta de candidatura foi apresentada com as assinaturas de deputados do PSD, CDS-PP e do PS", refere o grupo parlamentar socialista.

A posição dos socialistas surge depois de Paulo Portas ter desafiado sábado o PS a repensar a escolha do ex-secretário de Estado da Justiça Conde Rodrigues para juiz do TC.

"Preocupo-me com a credibilidade do TC, acho que o Tribunal precisa de juízes credíveis e não de juízes de partido. Se o PS o pensar melhor, não o criticarei por isso", disse Paulo Portas.

À margem do Conselho Nacional do CDS_PP, Paulo Portas lembrou ainda que a indicação do CDS-PP do nome da juíza desembargadora Fátima Mata Mouros, antiga juíza do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), para o TC "não foi alvo de controvérsia".

"Não foi alvo de controvérsia porque tem uma carreira jurídica muito sólida e tem um pensamento jurídico estruturado", concluiu.

Conde Rodrigues, ex-autarca da Câmara do Cartaxo, desempenhou cargos governamentais no Ministério da Justiça e no Ministério da Administração Interna durante o Executivo socialista liderado por José Sócrates e atualmente integrava o Conselho Superior do Ministério Público, motivos pelos quais suspendeu durante vários anos a sua ainda curta carreira de juiz nos Tribunais Administrativos e Fiscais.