Política

Rui Rio denuncia "desleixo na gestão de dossiês do Norte e do Porto"

Rui Rio denuncia "desleixo na gestão de dossiês do Norte e do Porto"

O presidente da Junta Metropolitana do Porto foi, esta sexta-feira, a cara e voz do protesto público daquele organismo pela forma como vários assuntos importantes para a região têm sido sucessivamente adiados pelo Poder Central, demonstrando mesmo alguma falta de respeito.

"O respeito pela Área Metropolitana do Porto não tem sido muito grande", acusou Rui Rio, no final de uma reunião da Junta. "Esta situação, que não é apenas do Metro, é algo de profundamente lamentável e demonstra, de certa forma, algum desleixo de gestão dos dossiês ligados ao Norte e à região do Porto", acrescentou.

Além do adiamento da Assembleia Geral do Metro do Porto, o autarca portuense lembrou os casos de adiamentos na Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa do Porto e nos STCP, o facto de saber que a Autoridade Municipal de Transportes aguarda "há algum tempo" a nomeação de um vogal, as indicações de que não haverá condições para nomear uma nova administração da Casa da Música e, ainda, o tempo que a CCDR-N esteve à espera para que fosse nomeada uma nova direção.

A JMP manifestou o desejo de que as coisas possam a passar a ser feitas de outra forma a partir de 16 de abril, data em que reunirá com o ministro da Economia, responsável por grande parte destes temas.

Rui Rio disse ainda compreender tanto a demissão de Guilherme Pinto, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, como a de Gonçalo Gonçalves, vereador da Câmara do Porto, da Metro do Porto. "As coisas não se podem arrastar indefinidamente, senão as pessoas começam a ficar cúmplices dessa situação", justificou.