Política

Seguro quer reunião do BCE em Lisboa "no dia 26"

Seguro quer reunião do BCE em Lisboa "no dia 26"

O secretário-geral do PS disse, esta sexta-feira, que se o Banco Central Europeu quer fazer uma reunião em Portugal que a faça a 26, dia sem eleições, e "convide o seu amigo de Portugal, o primeiro-ministro".

O encontro promovido belo BCE, e que arranca a 25 de maio, dia das eleições europeias, não deveria arrancar nesse dia, pois o sufrágio "deve decorrer com o país concentrado" em pleno nas eleições para o Parlamento Europeu, advertiu António José Seguro, no encontro "Jovens pela Mudança", que decorre na Alfândega do Porto.

"Podemos estar sob assistência financeira, mas nunca perdemos a nossa dignidade como povo", declarou o secretário-geral do PS, que reclama "bom senso" aos organizadores da reunião.

O líder do PS falava no encontro "Jovens pela Mudança", na Alfândega do Porto, que junta hoje à noite centenas de jovens da Juventude Socialista para debaterem com o cabeça de lista ao Parlamento Europeu e com o secretário-geral do PS questões políticas de diversas áreas, com foco na juventude.

A conferência "Política Monetária num Contexto Financeiro em Evolução", marcada para um hotel em Sintra entre 25 e 27 de maio, trará a Portugal figuras como Mario Draghi, presidente do BCE, Christine Lagarde, diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), e Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, considerou hoje "prestigiante" que o BCE tenha escolhido Portugal para realizar uma reunião, lembrando que no dia da reflexão das eleições europeias realiza-se em Lisboa a final da Liga dos Campeões Europeus.

"Vivemos na União Europeia, em que a iniciativa livre de todos os agentes e instituições não está sujeita a controlo prévio do Governo, qualquer entidade pode promover eventos em Portugal, como é o caso da Champions League, que vai ter lugar em Portugal no dia da reflexão, espero que a senhora deputada não esteja preocupada com o efeito que isso possa ter na reflexão dos portugueses", disse Passos Coelho no debate quinzenal no parlamento, em resposta à deputada e coordenadora do Bloco de Esquerda Catarina Martins, que o questionou sobre o que está a ser feito pelo Governo para impedir a realização da conferência do BCE em Sintra.