Autárquicas

Jerónimo de Sousa apela a "derrota do governo PSD/CDS" nas autárquicas

Jerónimo de Sousa apela a "derrota do governo PSD/CDS" nas autárquicas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, apelou, no Porto, a uma "derrota do atual governo do PSD/CDS-PP" nas próximas autárquicas, destacando que estas "nunca estiveram tão ligadas às questões gerais do país".

"Nunca umas eleições autárquicas estiveram tão ligadas às questões gerais do país. Nunca como hoje se afirma como inadiável a derrota do atual Governo do PSD/CDS-PP, da política de direita e da rejeição de um Pacto de Agressão que semeia a ruína e o retrocesso", afirmou o líder comunista, durante a apresentação dos candidatos da CDU à câmara e assembleia municipal do Porto.

Para Jerónimo de Sousa, "nunca como agora também a defesa do poder local esteve tão ligada ao êxito desta luta geral pela demissão do Governo, a derrota da política e a rejeição do Pacto de Agressão".

O secretário-geral do PCP destacou ainda a importância das próximas eleições autárquicas para reforçar a "influência e presença" do partido nas autarquias e lembrou que ainda há "muita luta por fazer, muito caminho por percorrer, muitas batalhas por travar até outubro".

"Em outubro próximo, o reforço da CDU, das suas posições, da sua votação, do seu número de eleitos, assume uma enorme importância e significado", sublinhou perante uma sala repleta de militantes.

A nível local, Jerónimo de Sousa frisou que "partidos e candidatos não são todos iguais", tal como "não se apresentam chegados de paraquedas para a campanha eleitoral", lembrando o percurso e obra realizada pelos candidatos Pedro Carvalho (câmara) e Honório Novo (assembleia).

Nesse sentido, defendeu que "a CDU tem dado provas que merece a confiança do povo e dos trabalhadores do Porto para governar a Câmara Municipal", desvalorizando a "promoção mediática" de outras candidaturas.

"Mais CDU significará mais força aos que não aceitam o rumo de desastre nacional a que a política de direita de PSD, CDS e PS têm conduzido o país, que lutam por uma política alternativa, patriótica e de esquerda, que abra caminho a uma vida e a um futuro com segurança", frisou.

Outras Notícias