Francisco Louçã

Liderança partilhada proposta por Louçã reúne apoio maioritário da Comissão Política do BE

Liderança partilhada proposta por Louçã reúne apoio maioritário da Comissão Política do BE

A liderança "a dois" proposta por Francisco Louçã para coordenar o BE reúne o apoio de pelo menos dez dos 16 membros da Comissão Política do partido, órgão que deverá reunir-se nas próximas semanas.

Dos 16 membros da comissão política, pelo menos dez apoiam ou consideram que a liderança partilhada - como foi proposto por Louçã, que na próxima Convenção abandona a liderança - é uma solução inovadora e com vantagens.

Até agora, apenas três dirigentes manifestaram publicamente divergências em relação a este modelo: Ana Drago, Marisa Matias e José Gusmão.

Para além de Francisco Louçã, fundador do partido e autor da proposta, também o líder parlamentar, Luís Fazenda, já disse ser favorável a "lideranças colegiais", tal como o ex-presidente da bancada José Manuel Pureza, que elogiou o modelo paritário que "desafia o sistema político".

Também o coordenador autárquico e ex-deputado do BE, Pedro Soares, afirmou à agência Lusa que a proposta "é uma boa solução e uma inovação bastante interessante", que retoma "a génese da fundação" do partido e do "esforço que havia neste sentido da liderança partilhada e coletiva".

Pedro Soares apontou como "muito interessante a ideia da paridade" e assinalou que "os dois nomes mais indicados", João Semedo e Catarina Martins, "não estão ligados diretamente a nenhuma das correntes fundadoras", o que revela uma "superação dessa fase inicial e a consumação do BE como movimento diverso e unitário".

"O BE tem esta obrigação ao nível da representação política institucional, aproveitando até o que há de recente e bom no resto da Europa", defendeu.

PUB

O dirigente bloquista considerou que "era muito difícil" que neste processo de transição de liderança "não houvesse críticas, fosse qual fosse a solução" e referiu que esta é uma discussão que tem lugar "há muito tempo" no seio do partido.

João Semedo, que Francisco Louçã defendeu para liderar o BE, já disse estar disponível para assumir esse papel juntamente com Catarina Martins, mas também sozinho.

"Sinto-me motivado e convicto em ambos os casos. Aceitarei se a opção for por uma solução mais tradicional", disse ao Expresso, na semana passada.

Já Catarina Martins, segundo o semanário, só avançará em dueto e com João Semedo.

Na comissão política, entre os apoiantes deste modelo estão também o fundador do partido Fernando Rosas, os ex-deputados Jorge Costa, José Soeiro e João Teixeira Lopes e Joana Mortágua, cabeça de lista por Évora nas autárquicas de 2009 e presidente da Associação Política da UDP.

Contactados pela Lusa, Mariana Aiveca, Rita Calvário e Tiago Gillot, restantes membros da comissão política do BE, não quiseram fazer qualquer declaração sobre este assunto.

A próxima reunião da Comissão Política não tem ainda data marcada, mas deverá ter lugar antes da próxima Mesa Nacional, agendada para 22 de setembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG