Política

Marco António Costa confia na "solidez jurídica" das candidaturas de Menezes e Seara

Marco António Costa confia na "solidez jurídica" das candidaturas de Menezes e Seara

O vice-presidente do PSD, Marco António Costa, disse, este sábado, na Trofa, confiar na "solidez jurídica" das candidaturas ao Porto e a Lisboa, enquanto o CDS-PP ainda pede "uma urgente clarificação à lei dos mandatos".

À margem da assinatura de um protocolo de coligação entre o PSD e o CDS/PP à câmara da Trofa, e a propósito da lei de limitação de mandatos, o vice-presidente dos sociais-democratas disse, à Lusa, não ter "nenhuma dúvida da solidez jurídica" das candidaturas apresentadas pelo seu partido, nomeadamente a de Luís Filipe Menezes no Porto e a de Fernando Seabra em Lisboa.

"Todas as candidaturas que o PSD apresentou até hoje, incluindo Lisboa e Porto, são juridicamente sérias. As notícias que saíram só confirmam essa solidez. Contamos ter uma grande vitória eleitoral quer no Porto, quer em Lisboa", disse Marco António Costa.

Para o vice-presidente do PSD nacional, esta será a oportunidade de autarcas eleitos em outros concelhos "provarem que o serviço que prestaram pode ser colocado ao serviço de outras populações", dando os exemplos do candidato ao Porto, que é presidente em Vila Nova de Gaia, e do candidato a Lisboa, que lidera a autarquia de Sintra.

"Não tenho dúvidas de que estas candidaturas poderão ser uma mais-valia, pois são candidatos com provas dadas", disse o também secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social.

Já o presidente da distrital do CDS-PP, Álvaro Castelo Branco pediu que a lei seja "urgentemente clarificada".

"Quem lê aquela lei já sabia que nuns sítios diz 'a' e em outros diz 'de' mas não penso que seja uma questão fundamental. Neste momento existe uma grande confusão à volta de várias candidaturas e sempre achei que isso deve ser clarificado, porque um juiz de determinada comarca pode aceitar uma candidatura e um juiz de uma comarca ao lado, caso tenha outro entendimento, não aceita e inibe alguém de ser candidato".

PUB

"Todo o país sabe que existe esta confusão, por isso é urgente clarificar a questão", disse o líder da distrital do CDS-PP do Porto.

Em sentido contrário ao seu homólogo do CDS-PP, o líder da distrital social-democrata partilhou da opinião do vice-presidente do PSD.

"Não é uma questão de dar jeito [em alusão às candidaturas de Menezes ao Porto e de Seabra a Lisboa], falava-se era de uma limitação territorial que não existe. É, assim, uma questão de se fazer justiça ao espírito da lei", referiu Virgílio Macedo.

Outras Notícias