Política

Mendes avisa que regresso de Sócrates pode ser "mortífero"

Mendes avisa que regresso de Sócrates pode ser "mortífero"

O regresso de José Sócrates aos ecrãs, agora como comentador semanal da RTP, poderá ajudar o Governo numa primeira fase, mas rapidamente se transformará numa oposição cerrada ao Executivo de Pedro Passos Coelho. Esta é a convicção de Marques Mendes que, este sábado, avisou que a satisfação do PSD, nomeadamente do ministro Miguel Relvas, será sol de pouca dura.

O ministro dos Assuntos Parlamentares, que foi previamente informado, vê vantagens na contratação do ex-chefe de Governo, segundo noticiou ontem o "Expresso". Entre outras razões, pelo facto de a sua aparição no canal do Estado poder ser fator de divisão do PS, fragilizando e condicionando o líder.

"Há uns crânios no Governo que assim não vão a lado nenhum", avisou, na SIC, Marques Mendes. "Passadas as primeiras semanas", em que "até será bom" para o Executivo, a partir daí Sócrates "vai ser mortífero para o Governo", disse. E "assistiremos a um comício semanal contra a equipa de Passos Coelho. O que, a seu ver, vai "obrigar a uma radicalização". Ou seja, "o consenso entre PS e PSD acabou".

Mas, independentemente do Governo, o ex-líder do PSD prevê que "a vinda de Sócrates será um pesadelo para António José Seguro", porque haverá "um PS com dois líderes: um oficial e um oficioso". E sustenta que Sócrates pretende "branquear a sua imagem", para ser candidato nas próximas eleições presidenciais.

Mendes defendeu ainda que Passos remodele o Governo já em abril, apresentando de seguida uma moção de confiança. E considerou a moção de censura do PS "um tiro de pólvora seca".