Autárquicas

Militantes do PSD-Guimarães confirmam Coelho Lima como cabeça de lista à Câmara em 2013

Militantes do PSD-Guimarães confirmam Coelho Lima como cabeça de lista à Câmara em 2013

Os militantes do PSD-Guimarães aprovaram na sexta-feira, por unanimidade, o nome de André Coelho Lima como cabeça de lista pelo partido à Câmara Municipal de Guimarães nas autárquicas de 2013, assim como a coligação com o CDS/PP.

Em declarações à agência Lusa, o candidato agora "formalmente confirmado" apontou como desafios o combate ao desemprego e a fixação de população no concelho, contrariando a tendência de perda "para outros concelhos".

André Coelho Lima considerou ainda que, caso seja eleito presidente da autarquia vimaranense, herdará um "conselho destruturado" e com "diferenças abismais" entre o centro e a periferia.

"Fazer com que Guimarães seja uma terra que atraia pessoas, onde as pessoas se sintam bem, onde haja emprego, onde haja qualidade de vida, onde haja poder de comprar", apontou Coelho Lima como metas a atingir.

Segundo o social-democrata, derrotado nas últimas eleições pelo atual presidente da Câmara, António Magalhães, "Guimarães é o único concelho da região que perdeu população", tendência que Coelho Lima quer "contrariar".

A "estratégia" aprovada em plenário de militantes passa por "pôr as pessoas no centro da atuação política", explicou.

"As pessoas, as suas preocupações e as suas necessidades têm que ser o ponto central da nossa intervenção política. Tudo o resto é instrumental", afirmou.

Como herança da gestão socialista, caso ganhe as eleições de 2013, Coelho Lima considerou que vai receber como ponto positivo "o reconhecimento de Guimarães conseguido com a elevação a Património Mundial (2001) e pela Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012".

Mas receberá também "um concelho destruturado", que "não é uniforme entre a cidade e a periferia", apontando a "uniformização de políticas e promoção da periferia como "objetivos a atingir".

Outra preocupação do social-democrata prende-se com a sustentabilidade dos equipamentos do concelho.

"Aquilo que é quase risível é estarmos hoje no debate político em Guimarães a discutir a sustentabilidade de equipamentos que já estão edificados. Parte-se do princípio de que quem faz as coisas com cabeça tronco e membros pensa nisto antes de as construir e não depois como está a acontecer", apontou.

Para Coelho Lima é, por isso, preciso mudar de rumo.

"Temos que deixar de estar no tempo de gastar dinheiro para passar ao tempo de gerar dinheiro", realçou.

Outras Notícias