Política

"Não se pode ser bem em tudo", disse Passos reagindo aos críticos

"Não se pode ser bem em tudo", disse Passos reagindo aos críticos

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho reclamou, quinta-feira, estar a alcançar os resultados desejados na governação e, em resposta aos que o criticam como líder do PSD, observou que "não se pode ser bem em tudo".

Na sessão de apresentação da sua recandidatura à liderança do PSD, num hotel de Lisboa, perante uma plateia de militantes sociais-democratas, Passos Coelho pediu desculpa por não dispensar o tempo necessário a falar com os militantes, agradeceu o apoio do partido ao Governo e acusou o PS de negativismo.

No final do seu discurso, antes de um período de debate fechado à comunicação social, declarou: "Vamos conversar hoje, depois desta intervenção. Tenho-o feito, não na qualidade de candidato, mas na qualidade de presidente do partido algumas vezes, mas, evidentemente, não as vezes necessárias. Já não sei quem é que disse que não tenho sido um bom presidente do PSD - bem, não se pode ser bem em tudo".

Esta afirmação suscitou risos e palmas dos presentes.

Outros Artigos Recomendados