Política

Números são resultado das "políticas recessivas" do Governo, acusa o PCP

Números são resultado das "políticas recessivas" do Governo, acusa o PCP

O PCP diz que os números divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat confirmam o "forte agravamento" do desemprego em Portugal, resultado das "políticas recessivas" do Governo.

A taxa de desemprego em Portugal atingiu os 14,8% em janeiro - a terceira mais alta da União Europeia. Embora as taxas não sejam rigorosamente comparáveis (o Eurostat usa uma metodologia diferente da do INE), este valor já está acima da previsão do Governo para o total deste ano, 14,5%.

"Estes números agora divulgados, duas semanas depois de terem sido conhecidos os dados do INE referentes ao quarto trimestre de 2011, em que a taxa de desemprego em sentido restrito atingiu os 14,0%, confirmam um forte agravamento dos níveis do desemprego em Portugal como resultado de todas as políticas recessivas que têm vindo a ser prosseguidas por este Governo", lê-se numa nota do Partido Comunista Português enviada às redações.

Os comunistas destacam que "só a Grécia, com uma taxa de desemprego de 19,9%, e a Espanha, com 23,3%, apresentam níveis de desemprego superiores" aos de Portugal.

"O ritmo de crescimento do desemprego tem sido tal nos últimos meses, em especial desde a assinatura do pacto de agressão entre a 'troika' nacional (PS/PSD/CDS) e a 'troika' estrangeira (FMI/CE/BCE), que desde julho passado até janeiro passámos da sétima mais elevada taxa do desemprego, para a terceira, agora verificada", sublinha ainda o PCP.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG