Política

"Os Verdes": Demissão "muito provavelmente" relacionada "com nomeações"

"Os Verdes": Demissão "muito provavelmente" relacionada "com nomeações"

O partido ecologista "Os verdes" considera que a demissão do secretário de Estado da Energia, Henrique Gomes, "muito provavelmente, não se pode desligar de um conjunto de nomeações já feitas, designadamente para a EDP".

Em comunicado, o partido "Os Verdes" considerou ainda que as grandes empresas do setor energético "formam um Estado dentro do próprio Estado".

"Esta demissão, muito provavelmente, não se pode desligar de um conjunto de nomeações já feitas, designadamente para a EDP, e de uma estratégia do setor electroprodutor para ganhar ainda mais espaço estratégico no país, sem obstáculos pela frente", defende o partido.

"Os Verdes" consideram que esta demissão assume "aquilo que é mais evidente: as elevadas "rendas" pagas ao setor energético e a forma como este setor tem saído beneficiado de uma forma profundamente escandalosa".

"As grandes empresas do setor energético formam um Estado dentro do próprio Estado, questão que nos deve merecer a maior preocupação, ainda por cima quando o governo, com a privatização da EDP e de outras empresas, se demite do controlo desta área estratégica para o país", refere o comunicado.

Henrique Gomes, antigo administrador da REN e da Gás de Portugal, deixa o Governo após nove meses em funções por motivos de "índole pessoal e familiar", sendo substituído por Artur Trindade, que até aqui exercia o cargo de diretor de Custos e Proveitos da Entidade Reguladora do Setor Energético (ERSE).

O chefe de Estado conferirá posse ao novo secretário de Estado da Energia, esta terça-feira, às 15.30 horas, no Palácio de Belém.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG