O Jogo ao Vivo

Política

Paulo Portas responde no Parlamento sobre os "vistos Gold"

Paulo Portas responde no Parlamento sobre os "vistos Gold"

O vice-primeiro-ministro Paulo Portas vai prestar declarações, quinta-feira, sobre o "vistos gold", na Comissão de Economia, no Parlamento.

A audição a Paulo Porto, agendada para as 16 horas, foi pedida pelo PCP e aprovada por unanimidade.

O líder parlamentar comunista, João Oliveira, que o PCP vai "confrontar o senhor vice-primeiro-ministro com a responsabilidade política que tem neste processo, com a responsabilidade política de ter criado o mecanismo dos vistos gold, com os quais andou a fazer propaganda nos últimos dois anos e pelos quais tem de responder".

O caso provocou já a demissão de Miguel Macedo do cargo de ministro da Administração Interna, no domingo, por considerar que não tinha condições políticas para se manter no cargo, com o envolvimento de pessoas que lhe são próximas, nas investigações da Operação Labirinto.

O caso levou 11 arguidos a Tribunal, durante os últimos dias. Cinco dos 11 arguidos vão ficar em prisão preventiva, entre estes o presidente do Instituto dos Registos e Notariado, António Figueiredo, e o empresário chinês Zhu Xiaodong ficaram em prisão preventiva.

A ex-secretária-geral do Ministério da Justiça Maria Antónia Anes, Jaime Gomes, sócio-gerente da empresa JMF Projects & Business, e Manuel Jarmela Palos, diretor nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), ficam em prisão preventiva, uma medida de coação que poderá ser convertida em pulseira eletrónica.

O programa de atribuição de vistos dourados foi criado em 2013 e prevê a emissão de autorizações de residência para estrangeiros, oriundos de fora do espaço Schengen, que façam investimentos em Portugal, por um período mínimo de cinco anos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG