Política

PCP alerta para "avalanche de novos pobres" no Porto e questiona Governo

PCP alerta para "avalanche de novos pobres" no Porto e questiona Governo

O Partido Comunista Português alertou, este domingo, para "uma autêntica avalanche de novos pobres" no distrito do Porto e questionou o Governo sobre que medidas vai tomar para dar resposta à situação.

Num conjunto de quatro perguntas dirigidas ao ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, o PCP refere que, depois de se ter reunido com instituições do Porto como a Associação de Educação e Desenvolvimento Social e o Coração da Cidade, verificou-se que "há um agravamento significativo da pobreza, da miséria e há cada vez mais famílias, que até há bem pouco tempo estavam estruturadas, que não conseguem cumprir os seus compromissos".

Por isso, o deputado comunista Jorge Machado colocou várias perguntas ao Governo, questionando "por que razão a Segurança Social não estabelece novos protocolos com as instituições face ao agravamento gritante da situação social" e que medidas vai o ministério tomar para responder "ao aumento da pobreza no distrito do Porto".

O PCP salientou um aumento do número de "sem abrigo", mas também que entre as pessoas mais afetadas pelo acréscimo da pobreza se encontram as crianças, "particularmente as crianças com deficiência".

"Da informação que recolhemos e das diferentes instituições com que contactámos, podemos dizer que a Segurança Social não responde, não ajusta os protocolos de cooperação à realidade, sendo assim o Governo PSD/CDS responsável por ação e omissão no agravamento da pobreza", escreve o autor das perguntas.

O PCP lembrou, ainda, que residem no Porto cerca de 84 mil beneficiários do Rendimento Social de Inserção, de um total nacional de 285 mil, enquanto em termos de recetores de subsídio de desemprego no Porto serão 85 mil face a 375 mil em todo o país.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG