Política

PCP critica "conjunto de palavras falsas" na mensagem do primeiro-ministro

PCP critica "conjunto de palavras falsas" na mensagem do primeiro-ministro

O PCP descreveu, este domingo, a mensagem de Natal do primeiro-ministro como um "conjunto de palavras falsas" e apelou aos portugueses para que não se resignem e defendam o seu direito a melhores condições de vida.

"É uma mensagem que se pode resumir a um conjunto de palavras falsas, que soam a mentira aos ouvidos dos portugueses", disse à Agência Lusa Jorge Cordeiro, da comissão política do PCP, num comentário às palavras de Pedro Passos Coelho.

Segundo o comunista, "no centro das preocupações não está o país nem os portugueses, como o primeiro-ministro quis fazer crer. Estão os interesses dos grupos financeiros, da banca, dos grandes grupos económicos".

Para o PCP, aquilo que é prometido pelo Governo em nome de reformas estruturais refere-se a várias medidas que vão acentuar a pobreza e as injustiças no país e retirar esperança aos cidadãos.

Por isso, a construção do "caminho de esperança e confiança a que os portugueses têm direito" terá de ser percorrido com a sua própria determinação: "Estamos a falar de cada português não se resignar, não desistir do direito de ter uma vida melhor, não aceitar passivamente novas retiradas de direitos", afirmou Jorge Cordeiro.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, apontou hoje 2012 como "um ano de grandes mudanças e transformações", que "incidirão com profundidade" nas "estruturas económicas".

O chefe do Governo declarou que "há razões para olhar de frente o futuro com esperança" e que os portugueses "têm sido corajosos e que o seu esforço vai valer a pena".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG