TSU

PCP diz que afirmações de Borges são "retaliação" perante recuo da TSU

PCP diz que afirmações de Borges são "retaliação" perante recuo da TSU

O líder do PCP afirmou, este domingo, na Horta que as críticas feitas pelo consultor governamental António Borges a quem discordou da redução da Taxa Social Única foram motivadas por um "sentimento de retaliação" dos grandes grupos económicos.

À chegada aos Açores, onde irá participar durante três dias na campanha eleitoral para as eleições regionais, Jerónimo de Sousa acusou Borges de estar a atacar os pequenos empresários e os trabalhadores, num "sentimento de retaliação" que também é a "voz dos grandes grupos económicos".

O consultor do Governo para as privatizações acusou, no sábado, os empresários que criticaram a redução da Taxa Social Única (TSU) de serem "ignorantes", mas Jerónimo de Sousa sustenta que as críticas de António Borges são subscritas pelos "grandes grupos económicos".

"O senhor António Borges conseguiu chamar ignorantes aos pequenos e médios empresários que vivem particularmente do mercado interno" e, por isso, também "há uma reação de parte do patronato que é compreensível", afirmou Jerónimo de Sousa.

António Borges falou de "barriga cheia porque se percebesse os dramas e as dificuldades na maioria dos trabalhadores e do povo português ele nunca diria aquilo", acrescentou Jerónimo de Sousa.