Impostos

PCP: Imaginação do Governo "supera a dos mais hábeis carteiristas"

PCP: Imaginação do Governo "supera a dos mais hábeis carteiristas"

O deputado comunista António Filipe defendeu, esta quarta-feira, que a "derrota" do Governo com a desistência das alterações à Taxa Social Única não significa menos austeridade, até porque "a imaginação do Governo supera a dos mais hábeis carteiristas".

"Quando se trata de ir aos bolsos dos portugueses, a imaginação do Governo supera a dos mais hábeis carteiristas", afirmou António Filipe, numa declaração política na Assembleia da República.

O deputado do PCP, que apelou à participação na manifestação de sábado, em Lisboa, convocada pela CGTP-IN, defendeu que "a derrota sofrida pelo Governo com a desistência das alterações à TSU não significa que o Governo tenha desistido de fazer entrar pela janela o que não conseguiu fazer entrar pela porta".

"Novas medidas se anunciam para fazer pagar os mesmos de sempre. Cortes de um mês ou mais de salário ou de pensão a todos os trabalhadores e reformados, alterações aos escalões do IRS para aumentar a carga fiscal sobre os rendimentos do trabalho e o mais que se verá", apontou.

No mesmo sentido, a deputada do Bloco de Esquerda Catarina Martins afirmou que "o número que o Governo fez com a TSU, que agora trocou pelo IRS, é um número que ninguém não pode aceitar".

"Os portugueses não saíram à rua para dizer roubem-nos de outra maneira. Não, o país saiu à rua para dizer basta de assalto", afirmou.

A deputada também não aceita "uma austeridade boazinha", numa referência ao PS, e sublinhou a necessidade de uma "alternativa real".

Também António Filipe disse na sua declaração política que "a alternativa que se coloca perante os portugueses não é a de escolher entre os que tiveram a culpa no passado e os que têm a culpa no presente, entre os que cumprem melhor ou pior o memorando da "troika' ou entre os que cumprem com ar arrogante e os que gostariam de o cumprir, mas com ar pesaroso".