Política

PCP pediu ao primeiro-ministro a demissão do Governo

PCP pediu ao primeiro-ministro a demissão do Governo

O dirigente comunista Jorge Cordeiro afirmou, esta quarta-feira, que o PCP defendeu na presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, a demissão do Governo como contributo para a solução dos problemas do país.

"Dissemos presencialmente ao senhor primeiro-ministro que, na nossa opinião, não há saída para os problemas nacionais sem a demissão do Governo e a convocação de eleições antecipadas", declarou Jorge Cordeiro, adiantando que Pedro Passos Coelho "reconhece que há uma incompatibilidade absoluta" entre o caminho seguido pelo executivo e aquilo que defende o PCP.

O dirigente comunista falava no final de um encontro do PCP com o primeiro-ministro e outros ministros do Governo PSD/CDS, na residência oficial de São Bento, Lisboa, no qual não esteve o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, e que durou mais de uma hora.

"O essencial para dar solução aos problemas do país é a demissão do Governo, a convocação de eleições antecipadas. E não quisemos, repito, deixar de lhe dizer presencialmente que era essa a nossa convicção de contribuição para a saída do problema nacional: a apresentação pelo Governo da sua demissão e a realização de eleições antecipadas", reforçou.

Segundo Jorge Cordeiro, a delegação do PCP, composta também pelos deputados António Filipe e Agostinho Lopes, foi decidida "em função da carta endereçada pelo ministro Poiares Maduro, tendo em conta em concreto os objetivos que estavam propostos".

Este encontro foi proposto pelo ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, para debater a "Estratégia para crescimento, emprego e fomento industrial" do executivo, mas o Governo dispôs-se depois a alargá-lo a outros temas.

"Consideramos que esta era a delegação adequada", disse Jorge Cordeiro.

Questionado se o plano do Governo de cortes na despesa pública a médio prazo foi também debatido nesta reunião, o dirigente comunista respondeu: "Nós viemos para discutir o denominado programa de crescimento económico, criação de emprego e fomento industrial, e foi nesse estrito limite que nos procurámos situar"

Para além do primeiro-ministro, participaram neste encontro os ministros da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, da Economia e Emprego, Álvaro Santos Pereira, e da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares.

Outras Notícias