Política

PCP promete lutar com "todas as forças" contra cortes retroativos nas pensões

PCP promete lutar com "todas as forças" contra cortes retroativos nas pensões

O PCP rejeitou, esta sexta-feira, a aplicação de cortes retroativos nas pensões do Estado, considerando tratar-se de uma medida "injusta e inaceitável" em relação à qual os comunistas lutarão com "todas as forças".

"Isso é uma matéria injusta e é inaceitável que haja esta dita retroatividade", disse o deputado comunista Jorge Machado em declarações aos jornalistas no Parlamento.

A aplicação de cortes retroativos nas pensões do Estado foi assumida na quarta-feira pelo secretário de Estado da Administração Pública em entrevista à estação de televisão SIC.

A medida, segundo noticiam hoje os jornais económicos, implicaria uma redução média na ordem dos 10% em todas as pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA), no âmbito do processo de convergência das fórmulas de cálculo de pensões da CGA e da Segurança Social.

Ressalvando que a proposta ainda não chegou à Assembleia da República e que só quando ela for conhecida o PCP analisará a sua constitucionalidade, Jorge Machado sublinhou que qualquer tentativa de impor cortes retroativamente a quem se reformou com as regras legais que foram impostas pelo próprio Governo "é uma injustiça e é um claro roubo".

"Não há qualquer tipo de legitimidade para retirar aquilo que lhes foi atribuído", insistiu, assegurando que os comunistas lutarão com "todas as forças" para que a medida não se concretize.

"Nós comunistas vamos lutar para que este pesadelo não seja uma realidade, para que este caminho não se concretize", frisou, não concretizando o que o PCP poderá fazer.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG