CDS

Portas convoca comissão política para preparar cortes de 4 mil milhões na despesa

Portas convoca comissão política para preparar cortes de 4 mil milhões na despesa

O líder do CDS-PP convocou a comissão política nacional do partido para discutir o corte de quatro mil milhões na despesa, que encara como um corte estrutural e não como uma refundação do Estado, disseram fontes democratas-cristãs.

Na sua intervenção inicial perante o Conselho Nacional do CDS-PP, que está a decorrer em Lisboa, Paulo Portas anunciou a convocação da comissão política e deixou um repto ao partido para que prepare propostas para o corte de quatro mil milhões de euros, contaram fontes do CDS-PP.

O corte de quatro mil milhões de euros é encarado pelo líder do CDS-PP, que é ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, como "um corte de despesa estrutural" e não uma "refundação do Estado" ou uma "refundação do Estado social".

Portas deixou algumas ideias para esse corte, como uma maior contratualização entre o Estado e o setor social e as Misericórdias, mudanças no setor empresarial do Estado (com um peso grande nas empresas de transportes).

O presidente do CDS-PP afirmou também aos conselheiros nacionais que é preciso fazer uma "averiguação" de quem possa estar a "acumular prestações sociais", nomeadamente prestações que advêm da níveis diferentes da administração, como o local, regional ou central.

Paulo Portas referiu-se igualmente ao processo orçamental, reiterando a posição segundo a qual o CDS votou favoravelmente o Orçamento para evitar uma crise política, que seria também uma crise financeira.

O líder democrata-cristão também repetiu aquela que tem sido a posição expressa por outros dirigentes do CDS-PP, de que o Orçamento "ficou aquém" do que o partido queria e do que seria possível face aos cortes na despesa que foram indicados.

Portas disse ainda que o voto contra o Orçamento por parte do deputado eleito pela Madeira, Rui Barreto, terá "uma consequência" e o parlamentar terá que sofrer "uma sanção", num processo que será conduzido pelo Conselho de Jurisdição do partido.