Política

Primeiro-ministro diz que debate sobre reforma do Estado "começou bem"

Primeiro-ministro diz que debate sobre reforma do Estado "começou bem"

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, considerou que o debate sobre a reforma do Estado começou bem, elogiando a conferência organizada pela advogada Sofia Galvão, mas pediu a mobilização de todos os cidadãos para futuras iniciativas.

Passos Coelho falava no encerramento da conferência "Um Estado para a Sociedade", que decorreu no Palácio Foz, em Lisboa, na terça-feira e quarta-feira, com limites à cobertura jornalística e com protestos de feirantes à porta por lhes ter sido negada a entrada, que dependia de convite.

O primeiro-ministro, que impulsionou esta conferência, organizada pela advogada, antiga secretária de Estado e ex-dirigente do PSD Sofia Galvão, agradeceu o seu contributo e o de todos os que participaram nesta iniciativa "nos termos e condições que são conhecidos".

"A preocupação de chamar a esta primeira discussão um leque tão heterogéneo e tão diversificado de personalidades é um bom indício de que começámos bem este processo", considerou.

Em seguida, Passos Coelho disse esperar que haja mais iniciativas de debate da reforma do Estado promovidas por diversas instituições e que isso aconteça "com idêntica amplitude e diversidade, mas que não dispense a mobilização de todos os cidadãos".

No final do seu discurso, Passos Coelho afirmou que o Governo aguarda "com muito interesse, como todo o país, as conclusões" desta primeira conferência, que, adiantou, serão anunciadas por Sofia Galvão no final desta semana ou no início da próxima.

"Parece-me de louvar que essas conclusões possam ser verificadas por todos aqueles que intervieram neste debate, para que não se possa dar o espetáculo no dia a seguir de uns dizerem que disseram umas coisas e outros que disseram outras, isto é, que as conclusões, de facto, representem fidedignamente o resultado do debate", acrescentou.

Segundo o chefe do Governo, assim, "dificilmente alguém questionará a utilidade do trabalho que foi realizado".

As intervenções de abertura e de encerramento desta conferência, que foram feitas pelo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, e pelo primeiro-ministro, respetivamente, foram abertas à comunicação social sem restrições.

No que respeita aos painéis de debate, os jornalistas não foram autorizados a fazer registos de imagem nem de som e foi comunicado por Sofia Galvão que o seu conteúdo poderia ser reproduzido, mas sem citações que não fossem autorizadas pelos intervenientes.

No entanto, uma colaboradora da organização disse aos jornalistas que lhes poderia ser posteriormente enviado um "clip" com alguns excertos dos painéis de debate produzido pelo Portal do Governo, que filmou a conferência.

Passos Coelho não prestou declarações à margem desta conferência e, à entrada, não se cruzou com a comunicação social nem com os manifestantes concentrados no local, porque entrou por outra porta.