Política

PS diz que demissão de Henrique Gomes é resultado da descoordenação do ministro da Economia

PS diz que demissão de Henrique Gomes é resultado da descoordenação do ministro da Economia

O PS considerou que a demissão de Henrique Gomes do cargo de secretário de Estado da Energia é o resultado "natural" de um ministro da Economia sem coordenação política e que tem perdido sucessivamente competências.

A posição dos socialistas foi transmitida pelo deputado Rui Paulo Figueiredo, porta-voz da bancada do PS para as questões da economia.

"Esta demissão do secretário de Estado da Energia comprova que o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, tem falta de capacidade política para coordenadar os seus secretários de Estado e que não funciona no exercício das suas competências. Com isso sofrem os portugueses, sobretudo os que estão no desemprego, mas também as empresas e a economia em geral, através do aumento da recessão, das falências e das insolvências", declarou Rui Paulo Figueiredo, também líder da concelhia do PS/Lisboa.

Rui Paulo Figueiredo criticou ainda o ministro Álvaro Santos Pereira por registar "sucessivas perdas de competências, quer para outros ministros - como Paulo Portas, Vítor Gaspar e Miguel Relvas -, quer para consultores, casos de António Borges ou Pais Antunes".

Ainda de acordo com o deputado socialista, a demissão de Henrique Gomes do cargo de secretário de Estado da Energia "demonstra que a orgânica do atual Governo está errada".

"Este erro na orgânica do Governo é ainda agravado pela falta de capacidade política do ministro da economia. A demissão do secretário de Estado é o resultado natural da descoordenação do ministro da Economia", acrescentou Rui Paulo Figueiredo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG