O Jogo ao Vivo

Política

PS esperava "mais contrição" do primeiro-ministro por promessas não cumpridas

PS esperava "mais contrição" do primeiro-ministro por promessas não cumpridas

O PS afirmou, este domingo, "esperar mais contrição" no discurso de Natal do primeiro-ministro, "pelas promessas não cumpridas e pela insensibilidade que o Governo revelou em tantas medidas" que concretizou desde que tomou posse, disse o secretário nacional do partido.

Em declarações à Agência Lusa, numa reacção à mensagem do primeiro-ministro, João Ribeiro sublinhou que Pedro Passos Coelho "cumpriu o ritual, a tradição das mensagens de Natal", mas disse que "esperava mais".

"Esperava que o primeiro-ministro, mais do que dizer o que deve ser feito, fizesse. Um primeiro-ministro faz, não anuncia", vincou João Ribeiro.

O socialista disse que o seu partido esperava "mais contrição do primeiro-ministro nesta quadra natalícia, pelas promessas não cumpridas e pela insensibilidade social que o Governo revelou em tantas medidas, como o corte do subsídio de Natal ou o aumento do IVA no gás e na electricidade".

Em nome do PS, João Ribeiro sublinhou que estas medidas do Governo "afectaram nestes dias decisivamente a vida de milhares de portugueses".

Na sua mensagem de Natal, Pedro Passos Coelho apontou, este domingo, 2012 como "um ano de grandes mudanças e transformações", que "incidirão com profundidade" nas "estruturas económicas", com a realização de reformas estruturais que visam a "democratização" da economia.

Numa mensagem de Natal em que afirmou que há "razões para olhar de frente o futuro com esperança", o primeiro-ministro declarou que "os portugueses têm sido corajosos e que o seu esforço vai valer a pena".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG