Madeira

PS-Madeira retira moção de censura devido à ausência de Jardim

PS-Madeira retira moção de censura devido à ausência de Jardim

O grupo parlamentar do PS-Madeira retirou, esta terça-feira, a moção de censura que havia apresentado ao Governo Regional devido à ausência do presidente do Executivo, numa sessão plenária que durou menos de três minutos.

O plenário do Parlamento madeirense deveria discutir e votar uma moção de censura ao Governo de Alberto João Jardim, proposta pelo PS-M e relativa sobretudo aos últimos dez anos de governação.

Mais uma vez, Jardim faltou, tendo o Governo Regional sido representado pelo secretário regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, o mais recente elemento do elenco governativo da Região, o que motivou os protestos dos partidos da oposição e levou à decisão do grupo parlamentar socialista de "retirar a moção de censura enquanto o presidente do Governo não estiver presente".

No Parlamento da Madeira deram entrada nos últimos 30 anos cinco propostas de moções de censura, a primeira a 8 de fevereiro de 1982, da autoria da UDP, mas não chegou a ser discutida por falta de quórum, três apresentadas pelo PCP a 20 de maio de 2008, a 12 de maio de 2009 e a 2 de março de 2011, que foram chumbadas pela maioria do PSD-Madeira e contaram com a abstenção dos deputados do CDS/PP.

Nas três sessões plenárias anteriores, Alberto João Jardim manteve a sua posição de não comparecer perante os deputados, e o Governo fez-se representar pelos secretários regionais dos Assuntos Sociais, Jardim Ramos, Equipamento Social, Santos Costa, e dos Recursos Humanos, Brazão de Castro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG