PS

PS pede ao Governo para acabar com a sua experiência de austeridade

PS pede ao Governo para acabar com a sua experiência de austeridade

O PS considerou que os dados sobre o défice no primeiro semestre demonstram que 2012 foi um ano perdido e espera que em 2013 o Governo termine com a sua experiência laboratorial de austeridade.

Falando aos jornalistas em reação aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que apontam para um défice de 6,8% nos primeiros seis meses deste ano, o deputado socialista Pedro Marques afirmou que o processo de consolidação orçamental de Portugal está longe de ser satisfatório.

"Sem medidas extraordinárias, infelizmente, o défice em 2012 andará muito próximo daquele que se verificou no ano passado e era o que faltava que o país continuasse neste senda", comentou o ex-secretário de Estado dos governos de José Sócrates.

Pedro Marques referiu que, "face à comoção social de todos os portugueses, o Governo "já abandonou a experiência laboratorial de aumentar a taxa social única dos trabalhadores".

"Esperamos agora que esta experiência laboratorial da austeridade custe o que custar, para além do memorando da 'troika', termine com a elaboração do Orçamento do Estado para 2013. Este é já o segundo ano em que o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, pede muitos sacrifícios aos portugueses e, depois de um ano, para cumprir as metas, recorre a medida extraordinárias", disse.

De acordo com Pedro Marques, o "segundo falhanço" do Governo ao nível do processo de consolidação orçamental "é particularmente clamoroso, porque todo o ano é da sua responsabilidade, duplicou a dose relativamente ao que estava previsto no memorando em matéria de austeridade e falhou por muito".

"Os portugueses não são ratinhos de laboratório à disposição do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e de Vítor Gaspar. Chega de experiências, chega desta espiral recessiva em que o país se encontra. O Governo tem mesmo agora de escolher outra política", acrescentou.